Novo endereço: www.tratamentoludovico.com

Acessem! Posts novos e todo o arquivo!

Archive for setembro \29\UTC 2008

Não adianta, senhor Bush; 29!

Posted by Murilo Romulo em setembro 29, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

29 de setembro de 2008. Curiosamente, um dia 29. Maldito dia 29; dia de desespero para a economia mundial. 29 de outubro de 1929, a maior depressão da história dos Estados Unidos. 79 anos depois, um dia para ser esquecido pelos grandes investidores. Vários bancos falindo; milhares de ações despencando de preço nas Bolsas; o temor da falência de mais uma empresa tirando o sono dos Chefes de Estado.

No Brasil, a maior queda em quase dez anos: 9,36%. A moeda norte-americana dispara 6%, maior aumento nos últimos 6 anos. Ao redor do mundo, um cenário parecido. Londres perdera 5,3%; Paris, 5,04%; Milão, 5%; Hong Kong e Frankfurt, aproximadamente 4,3%.

Nos Estados Unidos, origem da crise mundial, o dia não poderia ser pior. A falência de vários bancos fez com que a Nasdaq, Bolsa de ações ligadas a tecnologia, afundasse 9,14%. Já o índice Dow Jones, da Bolsa de Nova York, registrou a maior perda em sua história: 777,68 pontos; em termos percentuais, 6,98%; maior desde 2001, na retomada das operações após o trágico 11 de setembro. Toda a baixa ocorreu devido à rejeição dos Parlamentares norte-americanos ao Plano proposto por George Bush. Enquanto isso, o candidato do Partido Democrata à presidência, Barack Obama, anunciou que o Plano de resgate para economia estadunidense ainda é possível.

29…

Dead Fish – Bem Vindo ao Clube!

Posted in Brasil, Economia, Geral, Política | Etiquetado: , , , , | 2 Comments »

Terror Econômico. Quem é a próxima vítima?

Posted by Murilo Romulo em setembro 29, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

A crise na economia mundial, por mais um dia, aterroriza os investidores ao redor do mundo. Logo pela manhã, no horário de Brasília, o banco norte-americano Wachovia apresentava queda de 91% no preço das ações e logo foi comprado pelo Citigroup, salvando-o da falência; o Merrill Lynch foi adquirido pelo Bank of América; e o Washington Mutual, pelo JPMorgan Chase. Enquanto isso, na Europa, Holanda, Luxemburgo e Bélgica injetaram mais de US$16 bilhões no grupo belgo-holandês Fortis NV, nacionalizando-o.

Desde então, as Bolsas de Valores de todo o mundo operam em forte baixa. A Bovespa chegou a índices negativos de mais de 10%, tendo as negociações suspensas por 30 minutos, algo que não acontecia em nove anos. Logo após a retomada das negociações, a Bolsa operava em queda de mais de 9%. Caso atinja queda de 15%, novamente o chamado circuit-breaker será acionado, paralisando as negociações por mais 1 hora. O dólar atinge alta de aproximadamente 6%.

Alguns minutos atrás (no momento, 15:23, horário de Brasília), a câmara dos deputados dos Estados Unidos anunciou a rejeição do pacote de ajuda financeira de US$700 bilhões. A votação realizada há alguns minutos, apresentou placar de 228 votos contra; 205, a favor. Os republicanos, líderes da câmara, não conseguiram convencer seus opositores a votarem a favor do plano de ajuda. Imediatamente, a Bolsa de Nova York despencou, atingindo perdas de quase 5%. Enquanto isso, George Bush pede urgência para aprovação. Uma nova votação já está agendada.

Mais cedo, o Fed anunciou que, juntamente com outros nove bancos centrais, injetarão US$620 bilhões para evitar a escassez de crédito. O valor anterior era de aproximadamente US$290 bi. Segundo jornais britânicos e norte-americanos, o Plano Econômico não será suficiente para conter a atual crise.

(Edit 16:02)Vídeo do Washington Post com a votação. Veja aqui

(Edit 16:22)Link ao vivo para entrevistas com membros da Câmara e toda a cobertura da crise

(Edit 16:25)Aproximadamente 50 minutos após a retomada das negociações, a Bovespa opera em queda de 12%, o que aproxima a Bovespa de mais uma pausa.

(Edit 16:31)Às 16:25, horário de Brasília, a Bovespa apresentava queda mais forte ainda, desta vez de 13,17%.

(Edit 16:38)O dólar sofreu a maior alta desde 2002, 5,99%. No fechamento, a moeda norte-americana passou a valer R$1,964.

(Edit 16:46)Os investidores do mundo inteiro, abalados pelo pânico nas Bolsas de Valores, estão tirando cada vez mais dinheiro das ações, o que contrbui para uma queda ainda maior nos índices. Muitos deles estão investindo em ouro, que mantém um preço mais razoável, já que o barril de petróleo também sofre forte queda.

(Edit 16:58)Às 16:50, horário de Brasília, a Bovespa demonstrava uma certa recuperação, atingindo perda de “apenas” 9,67%, boa recuperação se comparamos ao valor de 30 minutos antes.

Posted in Brasil, Economia, Geral, Imprensa, Política | Etiquetado: , , | 1 Comment »

Piratas não só no cinema

Posted by Murilo Romulo em setembro 28, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Ao melhor estilo medieval, piratas seqüestradores de grandes navios. Algo que soa, de certa maneira, engraçado. Provavelmente, os mais jovens ainda se recordam das histórias de pirata vivenciadas por Chapolin Colorado. Sujeitos maus, armados, que saqueavam viajantes. Falando assim, um leitor pensaria “que coisa idosa, falar de piratas!”. Entretanto, essa prática é comum em mares africanos, mais especificamente na região da Somália.

As águas Somalis são consideradas as mais perigosas do mundo, principalmente pelo alto índice de saques a todo tipo de embarcações que por lá navegam, desde veleiros até petroleiros. Essa prática financia alguns grupos Somalis, que recebem milhões de dólares como resgate. Atualmente, mais de uma dezena de navios estão sob o poder dos piratas. Os seqüestros, porém, acabam não tendo grande repercussão na mídia brasileira, pois são ações que acabam passando despercebidas. Apesar de muito organizadas, as ações são realizadas por grupos marginais. Utilizando lanchas velozes, os piratas abordam navios com muita ousadia.

Na noite da última quinta-feira, um grupo de piratas dominava mais um navio cargueiro, algo rotineiro, de certa forma. Entretanto, perceberam que estavam diante de uma valiosíssima carga; um sonho para uma milícia armada. De bandeira ucraniana, o navio MV Faina, carrega lançadores de granadas; 33 tanques de guerra soviéticos, modelo T-72; além de muita munição. Os equipamentos tinham como destino o porte de Mombaça, no Quênia. O valor estimado da carga é de US$30 milhões.

A ação causou grande repercussão em todo o mundo, principalmente por parte de algumas grandes nações, como Rússia e Estados Unidos. Imediatamente após o seqüestro do navio, forças marítimas de ambas as nações foram deslocadas para controlarem a rota do navio ucraniano. Os russos, que já possuíam um navio de guerra para proteção de seus navios e cidadãos na região, enviaram o navio Dauntless como reforço. Enquanto isso, a Quinta Frota norte-americana enviou o navio USS Howard. De acordo com um porta-voz da Frota, o navio chegou a estar a 8km de distância do navio dos piratas.

O porta-voz dos piratas, Sugule Ali, anunciou que o grupo exige “apenas” o resgate de US$20 milhões. Mais cedo, outro pirata, Januna Ali Jama, exigira a quantia de US$35 milhões. Há indícios de que um russo, tripulante do MV Faina, está morto devido a uma gripe. Somália, um país que há 17 anos não possui um governo central legítimo, sofre muito com os piratas e não tem condições de conte-los. Talvez esse seja um estopim para uma disputa naval entre grandes nações nos mares africanos.

E tem gente que acha que piratas existem só no Caribe…

NOFX – Bob

Posted in Geral, Guerra, Política | Etiquetado: , , , , , | Leave a Comment »

Isso que é propaganda – Putz Sex Shop

Posted by Murilo Romulo em setembro 25, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Que propagandas milionárias, que nada! Alguns centavos podem ser suficientes para uma campanha publicitária fenomenal. É nesse ponto que eu ressalto o trabalho de profissionais do ramo. Mesmo sem os grotescos orçamentos das grandes empresas, muitas coisas boas podem ser criadas, aliando simplicidade a muita criatividade e inteligência.

Podem ficar calmos, caros leitores. Não há nenhuma cena de erotismo explícito no conteúdo das imagens contidas no post. A propaganda foi produzida pela Bolero Comunicações para o Sex Shop Putz, de Fortaleza-CE. A campanha denominada “Palitinhos” foi premiada no 16º Festival de Publicidade e Propaganda de Gramado, na categoria Produtos, pois se refere a um lubrificante íntimo.

Muita criatividade e inteligência na propaganda:

Obviamente, não colocarei o link para o site do Sex Shop.

Dire Straits – Brother in Arms

Posted in Geral, Imprensa, Inutilidades, Marketing, Propaganda | Etiquetado: , , , | 8 Comments »

Sotaquezim bão dimais…

Posted by Murilo Romulo em setembro 24, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

O sotaque das mineiras deveria ser ilegal, imoral ou engordar. Porque, se tudo que é bom tem um desses horríveis efeitos colaterais, como é que o falar lindo (das mineiras) ficou de fora?

Porque, Deus, que sotaque!

Mineira deveria nascer com tarja preta avisando: ouvi-la faz mal à saúde. Se uma mineira, falando mansinho, me pedir para assinar um contrato doando tudo que tenho, sou capaz de perguntar: só isso? Assino achando que ela me faz um favor.

Eu sou suspeitíssimo. Confesso: esse sotaque me desarma. Os mineiros têm um ódio mortal das palavras completas. Preferem abandoná-las no meio do caminho, não dizem: pode parar, dizem: “pó parar”. Não dizem: onde eu estou?, dizem: “ôncôtô”.

Os não-mineiros, ignorantes nas coisas de Minas, supõem, precipitada e levianamente, que os mineiros vivem lingüisticamente falando, apenas de uais, trens e sôs. Digo-lhes que não. Mineiro não fala que o sujeito é competente em tal ou qual atividade. Fala que ele é bom de serviço.

Pouco importa que seja um juiz ou jogador de futebol. Mineiras não usam o famosíssimo “tudo bem”. Sempre que duas mineiras se encontram, uma delas há de perguntar pra outra: – “Cê tá boa?”. Para mim, isso é pleonasmo. Perguntar para uma mineira se ela tá boa é desnecessário.

Há outras. Vamos supor que você esteja tendo um caso com uma mulher casada. Um amigo seu, se for mineiro, vai chegar e dizer: – “Mexe” com isso não, sô (leia-se: sai dessa, é fria, etc.). O verbo “mexer”, para os mineiros, tem os mais amplos significados… Quer dizer, por exemplo, trabalhar. Se lhe perguntarem com o que você mexe, não fique ofendido. Querem saber o seu ofício. Os mineiros também não gostam do verbo conseguir. Aqui ninguém consegue nada. Você não dá conta. “Sôcê” (se você) acha que não vai chegar a tempo, você liga e diz: – “Aqui”, não vou dar conta de chegar na hora, não, “sô”. Esse “aqui” é outro que só tem aqui. É antecedente obrigatório, sob pena de punição pública, de qualquer frase. É mais usada, no entanto, quando você quer falar e não estão lhe dando muita atenção. É uma forma de dizer: – Olá, me escutem, por favor. É a última instância antes de jogar um pão de queijo na cabeça do interlocutor.

Mineiras também não dizem apaixonada por. Dizem, sabe-se lá por que, “apaixonada com”. Soa engraçado aos ouvidos forasteiros. Ouve-se a toda hora: – Ah, eu apaixonei “com” ele… Ou: Sou doida “com” ele (ele, no caso, pode ser você, um carro, um cachorro). Elas vivem apaixonadas com alguma coisa.

Que os mineiros não acabam as palavras, todo mundo sabe. É um tal de “bonitim”, “fechadim”, e por aí vai. Já me acostumei a ouvir: – E aí, “vão?”. Traduzo: – E aí, vamos? Não caia na besteira de esperar um “vamos” completo de uma mineira. Não ouvirá nunca.

Eu preciso avisar à língua portuguesa que gosto muito dela, mas prefiro, com todo respeito, a mineira. Nada pessoal. Aqui certas regras não entram. São barradas pelas montanhas. Por exemplo, em Minas, se você quiser falar que precisa ir a um lugar, vai dizer: – Eu preciso “de” ir. Onde os mineiros arrumaram esse “de”, aí no meio, é uma boa pergunta. Só não me perguntem. Mas que ele existe, existe. Asseguro que sim, com escritura lavrada em cartório. Deixa eu repetir, porque é importante. Aqui em Minas ninguém precisa ir a lugar nenhum. Entendam… Você não precisa ir, você precisa “de” ir. Você não precisa viajar, você precisa “de” viajar. Se você chamar sua filha para acompanhá-la ao supermercado, ela reclamará: – Ah, mãe, eu preciso “de” ir?

No supermercado, o mineiro não faz muitas compras, ele compra um “tanto de coisa”. O supermercado não estará lotado, ele terá um “tanto de gente”. Se a fila do caixa não anda, é porque está “agarrando” lá na frente. Entendeu? Agarrar é agarrar, ora! Se, saindo do supermercado, a mineirinha vir um mendigo e ficar com pena, suspirará: – “Ai, gente, que dó”.

É provável que a essa altura o leitor já esteja apaixonado pelas mineiras. Não vem “caçar confusão” pro meu lado. Porque devo dizer, mineiro não arruma briga, mineiro “caça confusão”. Se você quiser dizer que tal sujeito é arruaceiro, é melhor falar, para se fazer entendido, que ele “vive caçando confusão”.

Para uma mineira falar que algo é muitíssimo bom vai dizer: – “Ô, é sem noção”. Entendeu? É “sem noção! ” Só não esqueça, por favor, o “Ô” no começo, porque sem ele não dá para dar noção do tanto que algo é sem noção, entendeu?

Capaz… Se você propõe algo ela diz: – “Capaz”!!! Vocês já ouviram esse “capaz”? É lindo. Quer dizer o quê? Sei lá, quer dizer “ce acha que eu faço isso!?” Com algumas toneladas de ironia… Se você ameaçar casar com a Gisele Bundchen, ela dirá: -“Ô dó dôcê”. Entendeu? Não? Deixa para lá. É parecido com o “nem…”. Já ouviu o “nem…?” Completo ele fica: – Ah, “nem”… O que significa? Significa, amigo leitor, que a mineira que o pronunciou não fará o que você propôs de jeito nenhum. Mas de jeito nenhum. Você diz: – Meu amor, “cê” anima “de” comer um tropeiro no Mineirão? Resposta: – “Nem…”. Ainda não entendeu? Uai, nem é nem.

A propósito, um mineiro não pergunta: – Você não vai? A pergunta, mineiramente falando, seria: – “Cê” não anima “de” ir? Tão simples. O resto do Brasil complica tudo. É, ué, cês dão umas volta pra falar os trem…

Falando em “ei…”. As mineiras falam assim, usando, curiosamente, o “ei” no lugar do “oi”. Você liga, e elas atendem lindamente: – “Eiiii!!!”, com muitos pontos de exclamação, a depender da saudade… Tem tantos outros… O plural, então, é um problema. Um lindo problema, mas um problema. Sou, não nego, suspeito. Minha inclinação é para perdoar, com louvor, os deslizes vocabulares das mineiras. Aliás, deslizes nada. Só porque aqui a língua é outra, não quer dizer que a oficial esteja com a razão. Se você, em conversa, falar: – Ah, fui lá comprar umas coisas… – “Que’ s coisa?” – ela retrucará. O plural dá um pulo. Sai das coisas e vai para o que. Ouvi de uma menina culta um “pelas metade”, no lugar de “pela metade”.

E se você acusar injustamente uma mineira, ela, chorosa,confidenciará: – Ele pôs a culpa “ni mim”. A conjugação dos verbos tem lá seus mistérios, em Minas. Ontem, uma senhora docemente me consolou: “preocupa não, bobo!”. E meus ouvidos, já acostumados às ingênuas conjugações mineiras, nem se espantam. Talvez se espantassem se ouvissem um: “não se preocupe”, ou algo assim. A fórmula mineira é sintética. E diz tudo. Até o tchau, em Minas, é personalizado. Ninguém diz tchau pura e simplesmente. Aqui se diz: “tchau pro cê”, “tchau pro cês”. É útil deixar claro o destinatário do tchau. Trem bão também demais sô…
Carlos Drummond de Andrade

Se Drummond diz, não ouso em discordar. Tenho de concordar que é lindo ver uma garota toda tímida, falando com um belo sotaque mineiro.

Cordel do Fogo Encantado – Os Anjos Caídos

Posted in Amor, Geral, Literatura | Etiquetado: , , | 6 Comments »

O Opera é lindo

Posted by Murilo Romulo em setembro 24, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Não, este post não tratará de nenhum assunto relacionado à música; muito menos algum assunto relacionado à medicina. O real assunto aqui abordado será informática, mais especificamente “suítes de internet”, ou, simplesmente, navegadores.

Os populares, ou nem tanto, navegadores de internet fazem parte do dia-dia dos usuários da grande rede. Acredito que todos os leitores deste blog utilizem algum dos aplicativos disponíveis para visualização de páginas da internet. Este é o problema: existem vários navegadores gratuitos disponíveis para download. Muita gente não sabe o que é um navegador; quiçá, que existe mais de um. Provavelmente, a maioria dos usuários da internet simplesmente utilize “o que vem” no computador que adquire.

A parte ruim disso está no fato do Internet Explorer ser o mais popular entre os navegadores disponíveis, provavelmente porque muitos nem sabem que existem outros. Da parcela que sabe da existência de outros navegadores, grande parte conhece apenas o Mozilla Firefox e, em alguns casos, já ouviram falar de outros. O Internet Explorer domina a internet, sendo utilizado em, aproximadamente, 60% dos acessos; em segundo vem o Firefox, com algo em torno de 35%.

O mercado de browsers, apesar de concentrado, não se restringe apenas aos dois mais populares. Recentemente, a gigantesca Google lançou o Chrome. O sucesso inicial parece não ser tão absurdo, apesar de ser um bom navegador e ter despertado a curiosidade de muitos usuários. O navegador dispõe de ferramentas já existentes em outros, além de ter uma ótima performance nos serviços da Google (por que será?), como Gmail, Orkut e Youtube.

É consenso entre os especialistas e usuários que tem um conhecimento mais aprofundado sobre informática, que o Internet Explorer é o pior entre todos os navegadores. São poucas ferramentas de personalização, o que resulta em uma menor liberdade para o usuário deixar o navegador do “seu jeito”; a lentidão é absurda. Por outro lado, é o navegador com maior compatibilidade nas diversas páginas da internet. Ganhando espaço a cada dia, o Firefox chega a assustar o IE. Entretanto, pouquíssima gente sabe que várias as opções disponíveis no Firefox foram criações do Opera.

O Web Browser produzido pela empresa norueguesa Opera Software é um dos mais antigos navegadores disponíveis, tendo sua primeira versão lançada em 1996. Sempre inovador, o Opera foi o primeiro a possuir a ferramenta Speed Dial, que consiste em uma página que o usuário coloca 12 sites com links diretos para qualquer site, totalmente a escolha. Além disso, o Opera é considerado um dos mais rápidos browsers para Windows, sendo muito rápido também na realização de downloads. Infelizmente ainda não realizei testes com um cronômetro, mas é facilmente perceptível a diferença em relação ao Internet Explorer; já em relação ao Firefox, aparentemente o norueguês é mais rápido, porém a diferença é pequena. Prometo, em breve, realizar testes práticos e postar os resultados.

Interface e página "Speed Dial"

Interface e página "Speed Dial"

Com uma interface agradabilíssima e variadas opções de personalização, o Opera pode ser utilizado em qualquer sistema operacional. Em adição, tem algumas ferramentas bastante eficientes e úteis, como o Feed Preview e o Opera Mail, este último que possibilita acesso aos e-mails ao iniciar uma página, sem a necessidade de realização de login na página de algum servidor, aumentando absurdamente a rapidez do processo.

Por fim, deixo essa dica. O Opera, apesar de muito pouco usado e desconhecido, tem uma qualidade enorme, além de ser bastante leve e ocupar pouquíssima memória. Algumas pequenas mudanças fazem bastante diferença na hora de navegar na internet.

Download do Opera 9.6 Beta1

Stevie Ray Vaughan – Love Struck Baby

Posted in Geral, Tecnologia | Etiquetado: , , , | 1 Comment »

Os Perigosos Sistemas Educacionais

Posted by Murilo Romulo em setembro 22, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Estudar. Sem dúvida, algo que está na cabeça de todos os jovens que aspiram uma boa universidade, muitas vezes pública. O grande problema disso é a necessidade de um pesado estudo, devido a grande disputa pelas vagas nas principais universidades de nosso país. Assim, nascem os sistemas educacionais. Poderia citar alguns dos principais sistemas de nosso país, todavia prefiro poupar algumas críticas mais diretas.

Diante de um modo de seleção baseado em uma única prova com o conteúdo de todo o ensino básico (salvo algumas exceções), o vestibular, cresce a importância de uma boa preparação. A necessidade de estudos intensos é benéfica ao passo que propicia uma melhor base para os futuros universitários. Além disso, faz com que os estudantes aumentem o foco nos estudos, para que consiga a tão sonhada vaga na faculdade.

Como em um vestibular, essa preocupação com os estudos gera uma não tão benéfica competição. Concordo, sim, que na hora do vestibular é cada um por si e seu grande amigo de infância passa a ser mais um dos milhares de concorrentes. Entretanto, enquanto o momento do vestibular não chega, acredito que não seja necessário haver tamanha competição. Se algum tipo de competição deve ocorrer, que ocorra de maneira natural e saudável. Um sistema que apenas aumenta a disputa por notas pode vir a ser bastante problemático.

Evidentemente, as escolas buscam explorar o potencial de seus alunos. Até aí, totalmente aceitável a criação de um estímulo para estes; o principal ponto está nas sérias conseqüências que isso pode gerar. Uma sala de aula é um ambiente onde deve prevalecer a amizade. Convivemos com pessoas que, querendo ou não, somos obrigados a encontrar constantemente. Portanto, procura-se criar o melhor ambiente possível para que os estudos não passem a ser uma verdadeira tortura, em um ambiente totalmente desfavorável. Isso chega a ser um fator negativo no rendimento dos próprios alunos, tendo em vista a necessidade de uma boa convivência entre as partes no local de trabalho, no caso, a escola.

A competição criada entre os alunos acaba gerando rixas e intrigas. A busca pelos melhores resultados pode fazer com que a concorrência não seja algo saudável. Um mal resultado pode ser decepcionante e depressivo para alguém que tem alguma dificuldade. Por outro lado, bons resultados são estimulantes para aqueles que tem mais facilidade. Todavia, ao mesmo tempo em que estimula os estudos de forma positiva, vem a criar egos insuportáveis.

Uma instituição de Ensino Médio prepara os estudantes para enfrentarem a carreira universitária e, mais tarde, o mercado de trabalho. Para ingressar na universidade, sem dúvidas, é necessária bastante maturidade. Creio que nem seja necessário abordar aqui o quanto essa maturidade é importante; é algo evidente. Alguém maduro o suficiente para iniciar a vida universitária sabe muito bem de suas obrigações e necessidades. Não é nem um pouco necessária, a criação de classificações em relação a seus amigos e colegas. Se um estudante não pensa que precisa melhorar nota baixa, mas que seus amigos foram pior, certamente ele não está preparado para enfrentar a universidade.

No vestibular, os concorrentes não são (apenas) seus amigos, com quem a relação é direta; mas com milhares de pessoas de todos os cantos do país, das mais diversas instituições de ensino. Pensar “ele foi pior que eu”, de fato, não é satisfatório. Deve-se pensar “fui o melhor que eu pude”. Se ainda assim não foi é suficiente, basta esforço até a conquista de melhores resultados. O chamado peso na consciência prevalece.

Van Halen – Eruption

Posted in Ética, Brasil, Educação, Geral, Vestibular | 7 Comments »

Os Bilhões (Não) Espalhados pelo Mundo

Posted by Murilo Romulo em setembro 21, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Quarta-feira, 17 de setembro de 2008. O Federal Reserve (Fed), Banco Central dos Estados Unidos, anunciava uma operação de salvamento para a AIG, maior seguradora do mundo. O empréstimo no valor de US$85 bilhões tinha como função acalmar a crise no setor econômico. Com a operação, o governo norte-americano nacionalizou a empresa, já que passou a deter 80% das ações. Ainda assim, os esforços foram todos em vão.

O temor da quebra de mais alguma empresa fez com que várias baixas ocorressem. O grande volume de dinheiro negociado no dia indicava a preocupação em liquidar os papéis. A Bolsa de Valores de Nova York registrou queda de 4,06%. A baixa foi acompanhada pelas principais bolsas européias, que operaram, em média, com queda de 2%. O declínio também foi sentido no Brasil, o que acarretou em uma forte baixa de 6,74% na Bovespa. Nenhuma das 66 ações negociadas na Bolsa de Valores brasileira operou em alta, sendo que algumas ações chegaram a desvalorizações de 15%.

Na quinta-feira, várias perdas começaram a ser neutralizadas. Seis Bancos Centrais, do Japão; do Reino Unido; dos Estados Unidos; da Suíça; do Canadá; e da Europa, anunciaram medidas contra a crise financeira. Com o temor de falência de outras grandes empresas, os Bancos Centrais disponibilizaram centenas de bilhões de dólares para possíveis empréstimos emergenciais. Isso diminuiu o temor no mercado e atraiu investimentos.

Os baixos preços e a reserva de emergência causaram fortes altas nas principais bolsas. No Brasil, a alta foi de 5,48%, índice puxado pelo aumento do valor das principais ações nacionais. A preocupação veio na valorização do dólar, que disparou 4,01% e atingiu a cotação de R$1,943. Com o grandioso aumento, o Banco Central brasileiro anunciou o leilão de dólares, para conter a desvalorização da moeda nacional. Tal ação não era realizada desde 2002, quando a economia brasileira passava por grande turbulência.

A intervenção na economia brasileira surtiu efeito logo no dia seguinte. O BC leiloou a quantia de US$500 milhões, o que valorizou a moeda nacional. Ontem, sexta-feira, a moeda norte-americana sofreu desvalorização de 5,12%, passando a valer R$1,829, maior queda diária desde 1º de agosto de 2002.

O dia 19 de setembro teve índice histórico não só desvalorização do dólar, mas também na grande disparada da Bovespa. A alta de 9,57% foi a maior desde janeiro de 1999. Ainda assim, no ano, a Bolsa brasileira acumula perda de mais de 16%. O otimismo por parte dos investidores foi global. As bolsas de Londres e de Paris também subiram quase 10% e a de Nova York, quase 3,5%. O anúncio do secretário do Tesouro norte-americano, Henry Paulson, de que o governo gastará centenas de bilhões para conter a crise, fez com que a semana encerrasse com boas expectativas. Entretanto, deve-se considerar que o valor pode chegar a US%1,5 trilhão, aproximadamente 10% do PIB norte-americano.

Enquanto isso, pessoas morrem de fome, sede…

Offspring – The Kids Aren’t Alright

Posted in Brasil, Economia, Geral, Política | Etiquetado: , , , | Leave a Comment »