Novo endereço: www.tratamentoludovico.com

Acessem! Posts novos e todo o arquivo!

Archive for the ‘Ética’ Category

Lamentáveis mudanças, senhor Haddad e dona Fuvest

Posted by Murilo Romulo em maio 22, 2009

Clique aqui para ver o post no novo endereço

O ano de 2009 será lembrado pelos vestibulandos como o ano das maiores incertezas. Há muito tempo fala-se em mudanças nos exames de ingresso nas universidades, mas até então nenhuma atitude muito radical havia sido tomada em massa. Infelizmente (pelo menos em meu ponto de vista, no 3º ano do Ensino Médio), esse ano todas as mudanças foram colocadas em prática.

Primeiramente especulava-se sobre um novo ENEM, com declarações do Ministro da Educação Fernando Haddad. Logo depois das especulações, a Unesp, assim como outras universidades públicas, anunciaram mudanças em seus vestibulares. De modo geral, o argumento de todas era a aplicação de uma prova mais “democrática”, com questões mais interdisciplinares, contextualizadas, menos fórmulas e decoreba e a inclusão de Filosofia e Sociologia nas provas. Não demorou muito para o novo ENEM ser aprovado, com a intenção de servir de vestibular único para as universidades federais. A ideia foi muito criticada, já que alguns vestibulares já estavam programados e com edital feito, assim tiveram que mudar. Para o Ministro, a adesão à prova foi acima do esperado. Entretanto, devemos considerar que a maioria das instituições já utilizava o Exame como bônus na nota geral, com algumas outras raras o utilizando como forma de ingresso direto.

A principal crítica em torno de tais mudanças esteve sempre relacionado ao momento em que foram efetuadas as mudanças. Críticas totalmente plausíveis, por sinal; uma mudança tão radical no Ensino nacional (como no ENEM) deve ser prevista com antecedência, pelo menos um ano antes dela entrar em vigor, de fato. As escolas de ensino médio estariam melhor preparadas para tais alterações e poderiam preparar melhor os alunos para determinadas provas. Agora, temos uma verdadeira incógnita sobre como será o novo ENEM. Pode ser que cobrem X, Y ou Z., não se sabe como os assuntos serão verdadeiramente abordados. Assim, quem tentará o ingresso em uma universidade este ano fica totalmente perdido. Coloco-me entre esses alunos, já que a Universidade que desejo cursar aderiu o novo ENEM como forma única de ingresso.

Agora, imaginemos que o Exame é o vestibular único para todas as Universidades Públicas. Chega no dia da prova, estou passando mal, debilitado e acabo com um desempenho inferior ao que poderia alcançar. Ou seja, perdi o ano de estudos. Toda a dedicação foi água abaixo por estar doente no dia da prova. A inspiração de fazer um sistema de ingresso como nos Estados Unidos (que utiliza o SAT) acaba sendo falho, já que lá o exame é aplicado várias vezes ao ano, então o aluno pode realmente ser bem avaliado.

Além do ENEM, a Fuvest, maior e mais tradicional vestibular de nosso país (já que permite ingresso na USP), também anunciou mudanças. A princípio a mudança básica seria a inclusão de provas de todas as disciplinas para todos os concorrentes na segunda fase. Até aí, nenhuma mudança tão drástica, já que temos universidades como a Unicamp que aplicam provas de todas as disciplinas para todos os concorrentes na segunda fase.

Não satisfeita com as mudanças, hoje, o Conselho de Graduação da USP aprovou mais mudanças no vestibular. As mudanças são no que tange as matérias específicas cobradas na segunda fase. O primeiro dia continua igual, com prova de português e redação para todos. O segundo dia também passa a ser universal, com provas de todas as outras disciplinas. Já no terceiro dia, cobra-se apenas as disciplinas específicas – no máximo três. Agora, português não é mais “peso 2” para carreira alguma.

A piada, entretanto, está em relação às novas disciplinas específicas de cada curso. Medicina trocou Física por… Geografia!!! Exatamente, agora os aspirantes a Medicina deverão saber Geografia física, rochas, relevo da Europa e Geopolítica para entrarem na mais desejada faculdade de medicina do Brasil – a Pinheiros. Assustador, eu diria. Acreditando que não teria mais surpresas, fiquei mais revoltado ainda quando vi as disciplinas para Odontologia. O curso é ministrado em três campi: Bauru, São Paulo e Ribeirão Preto. E cada uma das opções terá uma específica diferente. Para Bauru, Química, Física e Biologia; para São Paulo, Geografia no lugar de Física; já para Ribeirão, apenas Biologia e Química.

Esse é nosso maior e mais importante vestibular. Mais um ano que se passa e a Fuvest dá passos para trás, não contente com seu sistema de inscrição milenar – o único no qual precisa preencher ficha com foto datada.

Isso é Brasil.

Ira! – Núcleo Base

Posted in Ética, Brasil, Educação, Geral, Imprensa, Vestibular | 4 Comments »

Camarada Obama, para os muito leigos

Posted by Murilo Romulo em março 16, 2009

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Minha terapia semanal está feita; minha leitura de divertimento está feita, após muitas risadas e deboches. A Veja desta semana está algo deplorável. No pior sentido da palavra. Acho que a edição 2104, de 18 de março de 2009 é a pior capa e pior artigo de capa dos últimos anos. Ao ver a capa da semana, tive vontade de vomitar; ler o artigo, então, me deixou em pânico. Juro que fiquei sem palavras para fazer algum questionamento sobre a reportagem. Fiquei sem reação, simplesmente. Talvez tenha pensado “Que por**** é essa?”.

Logo na capa, temos Barack Obama com uma sátira à bandeira norte-americana ao fundo. Ao invés das estrelas com o fundo azul, uma foice e um martelo. Em apologia à famosa imagem de Joseph Stalin, ex-líder soviético, à frente da bandeira de seu país. Em letras maiores, temos “Camarada Obama”, também em apologia à forma de tratamento entre os membros do Politburo Soviético. Logo acima, em letras menores, lê-se “Por que a intervenção do governo dos EUA e a quase estatização da economia não vão criar um…”. Triste, triste.

Absolutamente espantado, abro a revista para ler o artigo, escrito pelo jornalista André Petry. Decepção total (não esperava nada melhor). Explica-se o “motivo” da reportagem. Um grupo de pessoas de classe média protestou, no estado da Louisiana, contra um suposto socialismo de Obama. Fora tachado de comunista e aparecia diante de foices e martelos. Sim, isso é um exemplo prático do que pode ser chamado de um “grupelho de lunáticos que na tem mais que fazer”.

Como exemplo de protestante, a revista coloca um radialista, surdo, ex-viciado em analgésico e podre de rico, que define o governo Obama como “socialismo, coletivismo, Stalin, como vocês quiserem chamar”. Se fosse para definir um lunático sem ter o que fazer, acho que esse sujeito seria o estereotipo mais adequado, o tal de Rush Limbaugh. Além dele, um repórter do New York Times questionou Barack Obama se ele era socialista; pior que isso, sem sarcasmo. Sem comentários para a falta de conhecimento político e histórico de seres como os dois citados.

Todo esse mimimi porque o governo norte-americano injetou 180 bilhões de dólares na seguradora AIG, 100 bilhões no Bank of America e no Citigroup. No setor automobilístico, 17 bilhões para General Motors e Chrysler. Além disso, Obama pretende aumentar os impostos para aqueles que recebem mais de 250 mil dólares anuais (algo em torno de 550 mil reais por ano), ampliar o sistema de saúde para toda população, aumentar o papel do governo na escola primária e ajudar universitários de baixa renda. Por causa disso, é chamado de comunista. Um pouco de leitura mostra que isso não tem nada de comunista.

Estatizar empresas dos setores mais afetados não é a solução? Para o radialista, não; para vários economistas, sim. Volto a bater na tecla de que uma economia planejada e com controle estatal não sofre tanto com crises quanto uma neoliberalista. Não digo que a economia norte-americana precisa ser como era a soviética, mas um controla por parte do Estado poderia ser interessante. Além disso, assistência médica e boa condição de educação é direito do cidadão e dever de um Estado digno. Para isso, aumento de 5% nos impostos dos mais favorecidos. Dói tanto assim? Alguém falou em coletivizar as propriedades dos mais ricos?

Para os conservadores e lunáticos defensores do liberalismo, a solução é deixar a economia ir para o fundo do poço. É deixar milhares de pessoas sem moradia, dentro de barracas em acampamentos comunitários; milhões sem empregos. Talvez realmente seja. Um país em que os cidadãos não conseguem pensar no próximo, naquele que também é cidadão e, a princípio, tem os mesmos direitos e deveres.

Lamentável, norte-americanos alienados. Lamentável, Veja. Um artigo desse nível é deplorável para imagem de uma revista tão influente e de tamanha circulação. Ou o nível dos leitores caiu muito, ou os editores estão com problemas mentais. Não é possível um brasileiro que realmente acredite que Obama pode instalar um regime socialista nos Estados Unidos. Um ser com um neurônio e meio e com interesse em comprar uma revista como a Veja consegue diferenciar o que é Socialismo de um plano de resgate para uma economia em crise. Se não consegue também, volte para escola primária, oitava série (nono ano), e veja a professora de história falar sobre Karl Marx e Revolução Russa.

Triste Veja, triste. O subsolo do Kremlim deve estar se revirando com uma reportagem desta.

Queen – I want to Break Free

Posted in Ética, Brasil, Economia, Geral, História, Imprensa, Política | Etiquetado: , , , , , , | Leave a Comment »

O dia em que os Estados Unidos se aproximaram da União Soviética

Posted by Murilo Romulo em janeiro 30, 2009

Clique aqui para ver o post no novo endereço

29 de janeiro de 2009. Não digo que os Estados Unidos da América passará a ter um regime socialista, muito menos comparo Obama a Lênin. Nesta última quinta-feira, porém, o presidente norte-americano assinou o Ato Lilly Ledbetter, primeiro projeto de lei aceito pelo presidente em sua gestão. O Ato, que leva o nome de uma ex-supervisora da fábrica de pneus Goodyear Tire & Rubber, prevê condições salariais iguais para homens e mulheres em todo o território estadunidense. Ano passado, o mesmo projeto de lei fora vetado pelos senadores republicanos, partido mais conservador e oposicionista ao de Obama. Durante a campanha presidencial, John McCain (candidato Republicano) foi criticado ao dizer que o Ato causaria vários processos de mulheres contra empregadores.

A antiga supervisora da empresa foi vítima de discriminação de pagamento, já que outros supervisores recebiam salários muito mais altos que o seu. A diferença salarial passava de US$8 mil. Com isso, Ledbetter processou a empresa, sem sucesso. Em 2007 a Suprema Corte votou contra a indenização de US$360 para a mulher.

Voltando no tempo quase 92 anos, a Europa passava por uma das maiores revoluções da história: a Grande Revolução de Outubro, a Revolução Russa. Logo após a Revolução e a tomada do poder por parte dos Bolcheviques, o líder da Rússia pós-revolução, Lênin, decretava o direito de igualdade salarial entre homens e mulheres. Além disso, as mulheres passavam a ter direitos civis, como direito ao divórcio, direito de voto e participação em cargos públicos, contanto que não fossem atreladas aos serviços domésticos, tão comuns no mundo capitalista.

Há quase um século, a Rússia (mais tarde União das Repúblicas Socialistas Soviéticas)
Proclamava a igualdade entre todos os cidadãos, sem distinção de sexo. Curiosamente, um país que se julga tão democrático e diz buscar promover a democracia em tantos países do mundo passa a ter direitos salariais iguais entre homens e mulheres muito depois de um país que era considerado “atrasado” por muitos. Como já diziam os socialistas do século XX: “Somos iguais todos os seres/Não mais deveres sem direitos/Não mais direitos sem deveres”. É para se comemorar tal “avanço” norte-americano.

Seu Jorge e Ana Carolina – Problema Social

Posted in Ética, Geral, História, Política | Etiquetado: , , , , , | 2 Comments »

Começou aquele tal de BBB

Posted by Murilo Romulo em janeiro 14, 2009

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Começou o tal BBB, programa da maior rede de televisão brasileira. Sim; infelizmente, a diversão (ou não) do povo está de volta, em sua, pasmem, nona edição. Com ou sem novidades, com ou sem Pedro Bial, com ou sem a loira do “zero trinta e um, trinta e um, trinta e um, trinta e um”. O fato é que está de volta.

Confesso que não acompanhei a estréia do programa, agora a pouco, depois de alguma novela (a que passa mais tarde. Não vou chutar América, pois sei que já acabou). De qualquer forma, tenho certeza de que o sensacionalismo característico da tal rede de TV popular foi o mesmo. Provavelmente já lançaram um “as mulheres deverão usar roupa azul ou verde amanhã? Para votar em azul ligue 0300313131; agora se você quer que usem roupa verde, ligue para 0300313132.” E, claro, milhares de pessoas já pegaram seus telefones e ligaram, até porque são apenas 31 centavos da ligação, mais os impostos. Talvez essas milhares de pessoas não saibam que os impostos brasileiros são meio altos. De qualquer forma, cada um é cada um; se quer enriquecer quem já é podre de rico, que enriqueça.

Poderia tentar calcular quanto ganham com o programa e etc, mas sendo bastante sucinto, pode-se ter uma noção dos valores. Se cada “paredão” der 1 milhão de votos por meio de ligações e cada ligação der 1 centavo para a emissora, temos R$10 mil. Agora, o programa tem pelo menos uns 10 “paredões”, portanto apenas aí já são R$100 mil. Isso porque estou trabalhando com valores baixíssimos. É claro que o valor recebido por ligação é muito maior que 1 centavo e o número de votos e de “paredões” é maior. Além deles, temos as votações “azul ou verde”, que geram mais uma considerável renda por meio das ligações. Não satisfeitos, ainda temos o valor que muita gente paga para poder assistir ao programa 24 horas por dia (sim, incrivelmente tem gente que tem coragem de pagar).

Sinceramente, acho que um programa que mostra um monte de gente bonita, rica e cheia de saúde não pode ser denominado Reality Show. Quer ver a realidade do mundo gastando dinheiro, vá para a África, ande por um campo de refugiados. Caso não queira gastar dinheiro, ande pelo centro de São Paulo por alguns dias. Aquilo é o show da vida, aquilo é a realidade dura e sofrida de brasileiros. Qual a realidade de ficar numa mansão, cheia de mordomias, sem acesso a nada do mundo que o cerca, junto de outras pessoas que também ficarão mais ricas ainda? Não ter sequer um relógio para se preocupar com horário para dormir e acordar é vergonhoso e não pode nunca ser considerado algo realista.

Se pegarmos o perfil de todos os participantes do “Reality Show”, com certeza estaremos longe da realidade de nosso país. 53% da população é branca, 39% mulata e 6% negra, além de outras etnias, que representam uma minoria. Apenas com uma comparação étnica, pode-se perceber que a distribuição dos participantes é totalmente manipulada. Além disso, grande parte tem (ou tinha, na época) idade entre 18 e 35 anos, o que também foge da realidade, juntamente com a distribuição por Unidade Federativa. Pelo que vi numa manchete da internet, nesta edição há dois “sessentões”. Isso que é distribuição etária, não?

Ao meu ver, isso é ridículo. Do fundo do coração. Como pode algo tão cínico e horrível ser tão promissor e render tanto lucro? Enquanto houver pessoas ignorantes o suficiente para darem audiência e dinheiro (principalmente), teremos de aguentar isso. Leiam livros; gastem dinheiro com livros, com cultura útil. Agora, ver um tanto de gente rica sem fazer nada da vida dentro de uma casa, está longe de ser realidade. O BBB não me faz ganhar a vida. Deixo que cada um decida o que significa cada letra “B”.

Tom Jobim – Favela

Posted in Ética, Brasil, Geral, Imprensa | Etiquetado: , , , , , | 3 Comments »

Efeito George Bush na eleição de Barack Obama

Posted by Murilo Romulo em dezembro 17, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Barack Hussein Obama, o primeiro negro eleito presidente nos Estados Unidos. Um marco não só para política norte-americana, mas para a política mundial. Há quem busque explicações para o “Fenômeno Obama”. É difícil afirmar que existe uma razão concreta. Provavelmente a explicação mais lógica seja a diferença de Obama para todos os outros presidentes eleitos; afinal, é negro, descendente de muçulmanos. Com o slogan de mudança, tudo se facilitou. Todavia, a mudança proposta pelo presidente eleito vai muito além de sua herança cultural. Como afirmou Arnaldo Jabor logo após a eleições, o principal responsável pela vitória de Obama nas urna é o próprio George Bush. A rejeição do atual governante norte-americano é absurda. Várias de suas grandes decisões e atitudes, como aquelas relacionadas a guerra no Iraque, são bastante contestadas e gera uma rejeição bastante alta. Essa rejeição é consideravelmente alta nos Estados Unidos. No mundo, então, nem precisa dizer. O resultado das eleições foi recebido com festa em vários países do mundo. Os cinco continentes celebraram Obama; os cinco continentes acreditam em Obama; os cinco continentes vêem em Obama uma oportunidade de mudança para consertar as contestadas decisões de George Bush. Não é difícil vermos manifestações com pessoas queimando fotos de George Bush. Bandas norte-americanas, como o Living Things, já queimaram imagens do presidente; algumas outras, como o Rage Againts the Machine, faz duras críticas durante seus concertos. É assim que Bush deixará o poder dia 20 de janeiro de 2009. O mundo quer alguém para colocar um fim na Doutrina Bush, na guerra no Iraque, na proibição do casamento gay. Seria Bush o homem mais odiado no mundo? Talvez sim; ou talvez não. O mundo simplesmente não quer ver mais seu rosto na televisão. Por isso, o mundo agradece a George Bush, por ter feito Barack Obama um fenômeno.

Rage Against the Machine – Know your enemy

Posted in Ética, Geral, Imprensa, Música, Política | Etiquetado: , , , | 2 Comments »

E dizem que não são…

Posted by Murilo Romulo em dezembro 9, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Coloco aqui alguns trechos de um artigo publicado hoje no maior jornal do estado de São Paulo; tire suas próprias conclusões.

Folha de São Paulo, terça-feira, 9 de dezembro de 2008
Folha Ilustrada, por Mônica Bergamo

Uma viagem (Hexa) Tricolor

O repórter Diógenes Campanha acompanhou a viagem do time rumo ao título, embarcando com os jogadores no sábado para Brasília e depois de volta para São Paulo.

Na ida, apesar da maior preocupação, há tempo para comprinhas no aeroporto de Congonhas. Muricy Ramalho compra a “Veja” e a “Caras” antes do embarque. Os laterais Joilson e Júnior experimentam óculos escuros no free shop. “Achei. É esse aqui!”, diz o meia Richarlyson, ao ver o perfume masculino 1 Million, de Paco Rabanne, na prateleira. Leva também uma barra de chocolate e alguns tubos de gloss labial. “É Victoria’s Secret”, diz, antes de abrir a carteira repleta de notas de R$50. Rogério Ceni pára na joalheria. A vendedora oferece várias peças, mas os fãs começam a fotografar o goleiro na porta da loja. “Fica para outro dia”, diz ele, desistindo da compa.

[…]Diante da informação de que foi o presidente da Federação Paulista de Futebol, Marco Polo del Nero, que apresentou a denúncia de suborno, juvenal diz: “Vamos para o pau!” Leco desce e anuncia o rompimento do clube com a federação.

[…]Ainda no vôo, o presidente da federação é “homenageado” pelos jogadores. “Ei, Marco Polo, vai tomar no c…”.
Hugo tira a camisa, enquanto o goleiro Bosco anda pelo avião com uma câmera.
“Esta noche teremos que gañar, laiálaiá, laiálaiá”, canta Dagoberto, liderando um grupo que pula e bate nos bagageiros. Latas de cerveja são servidas em bandejas.
“Tchutchuco, me vê um sanduíche light”, pede Richarlyson. Juvenal segura uma camiseta na mão, com a inscrição “Tri-Hexa”. “Vou dar para o Rogério vestir. Temos que fazer propaganda para vender”, diz. Os jogadores cantam no microfone do avião: “Essa é pra você, Mujica [apelido de Muricy no grupo]: ‘Beber, cair e levantar’”.

Falta ética, respeito e transparência no futebol brasileiro. Há quem diga que são bambis. Deixo conclusões para cada um.

Fonte

BB King – Lucille

Posted in Ética, Esporte, Futebol, Geral, Imprensa | Etiquetado: , , , , , | 5 Comments »

Um Brasileirão sem um vencedor

Posted by Murilo Romulo em dezembro 7, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço 

Em 2005, o Corinthians foi campeão brasileiro diante de muita desconfiança. Naquele ano, o então árbitro Edílson Pereira de Carvalho foi pego participando de um esquema de manipulação de resultados. Junto dele, havia um grupo de apostadores que se beneficiavam com os resultados dos jogos apitados por Edílson. Com a comprovação do esquema, 11 jogos do campeonato tiveram de ser remarcados e seus placares, anulados.

 

Três anos depois e um novo caso envolvendo árbitros ameaça o Brasileirão. Menos de 24 horas antes da última e decisiva rodada, a CBF decidiu vetar o árbitro Wagner Tardelli para a partida entre São Paulo e Goiás. A decisão veio acompanhada de diversas especulações a respeito do motivo, porém Ricardo Teixeira, presidente da CBF, afirmou saber o autor da confusão, porém só divulgará amanhã, segunda-feira.

 

O São Paulo foi o primeiro a se julgar vítima. Em nota oficial, o clube se colocou como o principal prejudicado por toda a confusão e exige uma explicação urgente dos fatos, além de uma devida punição dos eventuais responsáveis. Na mesma nota, há um trecho que diz “É lamentável que uma competição deste porte e importância chegue à sua rodada final sob suspeita de prática ilícitas e vícios que acreditávamos superados”.

 

Assim sendo, surgiram duas versões. A primeira delas, envolveria o envio de ingressos do show da cantora Madonna para o vice-presidente da Federação Paulista de Futebol, Reinaldo Carneiro Bastos. O show será realizado no Morumbi, portanto os ingressos seriam cortesia da diretoria do São Paulo Futebol Clube. Com isso, Marco Polo del Nero, presidente da FPF, teria avisado a CBF, que resolveu suspender o árbitro, a fim de evitar problemas. Seria totalmente plausível, já que presidente e vice da Federação Paulista não de dão bem, apenas se aturam.

 

Uma outra versão apontaria que um suposto envelope contendo dinheiro fora interceptado pela CBF. Tal envelope teria como destinatário o juiz suspenso da partida. Versão um tanto quanto inexplicada, já que não há explicação de como o envelope foi interceptado.

 

Bastos possui, assumidamente, relações bastante próximas a Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo. O mesmo Bastos, acusado de ter pressionado Edílson Pereira de Carvalho para manipular resultados do campeonato de 2005. Logo após, o vice-presidente disse que processaria o ex-árbitro. Então, pergunto: processou? Eu espero… Nada?

 

As secretárias de Bastos e Juvêncio, segundo o comentarista futebolístico Juca Kfouri, também são bastante próximas. Assim, era algo bastante comum cortesias entre o clube paulistano e a Federação Paulista, apesar da má relação do clube com Marco Polo del Nero e, conseqüentemente, com a Federação Paulista. Isso porque o clube afirma em nota oficial que acreditava no fim dessas “práticas ilícitas”.

 

Para completar o clima circense, o São Paulo Futebol Clube rompeu as relações com a Federação Paulista e seu presidente, del Nero. O motivo seria a ligação realizada pelo presidente para Ricardo Teixeira, informando das cortesias são paulinas, que resultou na suspensão do árbitro. Segundo Nero, Wagner Tardelli seria um dos destinatários dos convites. Estariam os convites no envelope interceptado? Infelizmente, ainda não há resposta.

 

Incrivelmente, na partida contra o Goiás, o time de Juvenal Juvêncio venceu com um gol claramente impedido. Quanta coincidência para dois dias. Ao meu ver, o Campeonato Brasileiro de 2008 está melado. Muita coisa ainda deve ser explicada. São Paulo campeão; parabéns a eles. Merecido? Ainda não.

 

 

Ray Charles – Georgia on my Mind

Posted in Ética, Brasil, Esporte, Futebol, Geral, Imprensa, Política | Etiquetado: , , , , , , , | 2 Comments »

Santa Catarina sofre com enchentes e pede ajuda

Posted by Murilo Romulo em dezembro 1, 2008

Clique aqui para ver o post no novo endereço

Neste blog há posts bizarros, posts inúteis e posts sérios. Dessa vez, peço muita seriedade e colaboração de todos. A belíssima Santa Catarina está em apuros. Milhares de pessoas estão desalojadas e buscam ajuda. Se cada um de nós, brasileiros, ajudasse com 1 real, tenho certeza que seria suficiente para ajudar MUITO a população que sofre no momento com as enchentes. Não custa nada tirar a bunda da cadeira em frente ao computador e ajudar as vítimas. Ajudem a divulgar, por favor.

Campanha de ajuda as vitimas das enchentes

Posted in Ética, Brasil, Geral, Propaganda | Etiquetado: , , , | 1 Comment »